Arquivo da tag: textos

santinha

Era uma vez uma santinha
Era uma vez um 13 de maio
De um tempo sem pandemia
A santinha lá a abençoar a cada um
Tempo onde podíamos ir e vir
Sem preocupação com vírus
Mas estava lá a santinha
Escutando nossos problemas
Problemas que na pandemia se juntaram com outros , ah minha santinha do 13 de maio frio como sempre!
Eu aprendi tanto , temos que ser forte , escutar os outros com amor
Tentar levar a esperança mesmo que seja difícil
Para mim o começo foi muito difícil o medo de ter uma crise no meio da pandemia me deixava meio aérea ! O medo da ti ter alguma coisa … mas fui caminhando , pela arte , a arte me salvou .se tive ansiedade sim , mas sempre que me sentia mas ansiosa eu pegava as minhas agulhas e ia de ponto em ponto como a batida do coração
Problema sim tiveram, perda também teve , e não pode haver despedida, mas tive que ser forte para enfrentar a saudade , não só de quem se foi mas de quem está perto mas ao mesmo tempo longe
Era uma vez uma santinha
Era uma vez a esperança , espero que está vacina seja uma luz , que possamos nos abraçar e andar apreciando o que antes não olhávamos
Deixar o celular de lado e prestar atenção nas pessoas , nas flores , nos pássaros , nos sons da cidade , nas cores , e de fé em fé vamos e sei que a minha santinha do 13 de maio estará lá a escutar sempre os meus problemas e ajudar a seguir, a virgem do silêncio, clareia sempre o nosso coração cansado que vai de fé em fé a escutar a nossa prece !
Em resumo a fé e a arte salvam
Feliz 2021 com a vacina
( obs o texto era só para ser uma resposta a questionamento próprios )

 

Nada mudou

mudaram as estações , mas está  tudo assim , tão igual

nada mudou , mas sei que alguma coisa mudou

esta assim tudo diferente

agora tanto faz ….

estamos indo de volta para casa

ou melhor ainda estamos em casa

Desistir nem pensar ….

em casa  em outras estações

mesmo que seja tudo tão igual

ainda que faça sol ou chuva

em casa com sonho de dias melhor

por que há flores pelo caminho

e as flores de plástico não morrem ….

e o meu coração ainda faz  Turo Turo por dias melhores

por que na primavera há calmaria

e tudo vai passar

por que as Rosas de plástico não morrem

e estamos indo de volta para casa

Desistir nem pensar

vizinho

 

 

 

#julhoquevou #julhoqueeuvou

Vizinhos ah vizinhos …
bom o que descobrir ?
Descobrir que este prédio é quase uma caixinha de música
Destas caixinha de música que moram várias lindas bailarinas que vão levando a quarentena com os seus passos
Plié.
Jeté.
Fondu. …
Frappé. …
Grand Battement. …
Adagio.

Aqui quem sabe more a compelia ou a Giselle quem sabe a clara tenha passado aqui na quarentena, quem sabe o mágico da clara possa levar o vírus embora , com ajuda da bela adormecida , quem sabe apareça o don quixote , e salve as lindas bailarinas das caixinhas de música da quarentena e elas voltem a dançar o lago dos cisnes nos palcos da vida , e façam a plateia sorrir e chorar … que entre um Pile e outro haja sempre à esperança que nossa senhora do ballet sempre nos proteja …

desafio feito pela escritora maria Helena Alvim

 

o olhar

#julhoqueeuvou
#julhoquevou

O olhar … o ver a mesma coisa com outros olhos
O olhar que vai e vem
Pelo verde das árvores sempre com folhas novas na secada !
O olhar que vai e vem !
O olhar que vai e vem olhando os santinhos da mesa de cabeceira
Sempre atrás de uma fé .. que se renova todo dia !
O olhar que ver sempre uma cor nova nas suas próprias pinturas…
nas linhas do bordados
No olhar da menina do quadro a me olhar todas as noites de formas diferente…
ah o olhar que nos ensina sempre ir adiante a procurar novos caminhos ….

desafio criado pela escritora  maria Helena Alvim

janela

 

#julhoquevou

 

Da minha janela
Vejo cores
Vejo pássaros
Vejo o céu azul
Vejo o céu nublado
Vejo vida
Vejo crianças correndo pela grama do prédio ….
vejo as motos que vão e vem com os almoços
Vejo as plantas o meu pé de limão !
Vejo os pássaros comendo banana na sacada
Vejo as luzes da noite fria
Luz verdes, amarelas , vermelhas
Vejo o vento o vento agente vê ?
Vejo o verde das árvores e o cor de Rosa dos ipês
Vejo vida sempre a pulsar lá fora …

Texto dia 1 #1dejulho

desafio julho que vou feito pela escritora Maria Helena Alvin

@mhalvim

São João del rei

   

São João del rei

Cidade de ar de histórico e histórica ….. construída sobre as lindas montanhas de Minas gerais … cidade de Fé com suas inúmeras igrejas , e suas lindas tradições visitar São João del rei na páscoa è como entrar em um mundo de Fé cores e arte ao mesmo tempo ….e foi assim atras de fotografias deste mundo de cores e Fé que cheguei a esta linda casinha , uma pousada que beirava uma rodovia e cercada de verde , e toda cheia de vida , parecia uma casinha de uma linda boneca que estaria prestes a chegar a qualquer momento , havia pássaros livres e todo tipo de pequenos insetos em suas flores cor de rosa …..havia bonecas de barro que de tâo bem feitas pareciam ter vida própria , era tudo muito poético com um ar de contos de fada ….