Arquivo da tag: amor

Tereza

Ás vezes fico horas e horas escutando a ti contar as suas historias , sempre gostei muito de escutar historias .
não era á toa que a minha matéria preferida na escola era historia , gostava de estudar sobre reis e rainhas , Dom Pedro segundo e a sua paixão pela fotografia , dos reis da frança  da monarquia inglesa com sua rainha quase impecável com quase 90 anos .
sempre gostei de viajar pela historia quando era criança , pela imaginação já viajo há mas tempo desde que me conheço por gente , e assim vou voando por memórias que não são minhas mas que se tornam minhas de tão verdadeiras que são. Assim como a historia da tereza , não é uma memória minha… mas um dia encontrei uma foto em um álbum da ti que estava guardado no meu quarto , a foto colada na contra capa de um álbum daqueles da década de 70 com uma linda casinha na capa daquelas que só existe na capas de álbum e que nunca vi pessoalmente , e atras da casinha mora a foto da tereza , que na verdade morreu muito antes de eu passar em nascer , mas a foto me interessou tanto , que resolvi fazer uma linda ilustração , e depois virou um lindo bordado e como eram duas meninas me lembrei de Renoir e suas meninas de rosa e azul , que deveriam ter a mesma idade da tereza e da ti , Alice e Elizabert deveriam ter por volta de seus 10 anos também filhas de banqueiro , a tela foi encomendada em 1881 , cem anos antes do meu nascimento e muitos anos antes da foto do álbum da casinha mas a posição era a mesma os vestidos bem diferentes pois anos separam a pintura da foto , e anos separaram a ilustração e o bondado da foto , mas era tudo muito parecido , duas lindas meninas no quadro, duas lindas meninas na foto que usavam também sapatinhos no estilo boneca aquele mesmo sapatinho que eu também tenho e morro de ciúmes e por um acaso ganhei da ti e ele sai comigo raramente , outro dia ele teve que ir ao sapateiro para tirar uns riscos e não é que fiquei esperando ele ser renovado , não ia deixar meu sapatinho la sozinho , e agora novinho em folha ele dorme no meu armário , o sapato igual me chamou atenção sim a posição também , era tudo igual só não a cor da roupa que no bordado dei um jeito de ficar igual , só não era igual a historias as meninas do quadro eram francesas filhas de banqueiro , as minhas meninas do álbum eram paranaense nasceram no frio úmido de catanduvas , em uma cidade pequena que nada lembra Paris do Renoir , mas tinha uma historia e tinha uma cor mesmo que a foto fosse branca e preta hoje ela é amarela pois papeis fotográficos as vezes tem este pequeno problema de mudarem de cor com o tempo mesmo que o tempo não seja longo , eu nunca vi a foto em branco e preto muito menos amarela para mim ela sempre foi rosa e azul igual no quadro a ti a mas nova era a de vestido cor de rosa e com os seus sonhos cor de rosa , tereza a mas velha a azul assim como no quadro , e com seu ar quase celestial , tereza era tia da ti diferente as duas meninas da pintura do quadro que eram irmãs mas a diferença de idade era a mesma , tereza a menina de azul e com ar celeste morreu cedo tinha um ar de sonhos da cor do Céu de cantaduvas cidade da região oeste Parana .

TIA ABI

 

      Dia 22 de abril , dia do descobrimento do Brasil , assim aprendi na escola , matéria de prova no primário , fato que acaba tendo importância , somente quando adamos todos iguais com uniforme azul e amarelo , cinza e laranja , e catamos o hino que devo confessar  que  não decorei até hoje , e o descobrimento do Brasil fica assim esquecido nas apostilas da escola , no mar de Porto Seguro , porem a data do descobrimento do Brasil que andava tão esquecida por mim , virou a data do descobrimento de um amor puro , que me ensinou que nos dias de sol entre as nuvens de algodão passa aviões , e que mesmo a km de distancia da para imitar o som , que dentro do meu computador mora um galo , que feijoada é bom , e que na caixinha do gatinho tem chocolate , e que na Tv mora a Peppa e que ela é cor de rosa e que tem pai mãe , vovô , e um irmão , que não se pode tirar a mão do violão , que a musica do sapo que não lava o pé tem que ser tocada até o final , que a camisa do ” Corin ” é a mas bonita , que “bol “ serve para fazer gol , que lá na rua passa o car , que para o patinho andar tem que dar corda , que o escorregado em um domingo de sol é quente e temos que colocar a mão para ver se não vai queimar , que uma latinha è o melhor brinquedo do mundo , assim como o cadarço do tênis , que temos que testar todas as canetinhas e podemos ficar verdes como o herói de um desenho amimado , que o cavalinho do sofá do escritório chama “ BU “ e que o BU usa uma camiseta do “ Corin “ e que da para imitar o São Francisco da porta , e que meu nome é simplesmente ABI …. e assim descobrir no dia do descobrimento como é ser simplesmente Tia ou melhor ABI …. BIA ABI