Arquivos da categoria: poema

Nada mudou

mudaram as estações , mas está  tudo assim , tão igual

nada mudou , mas sei que alguma coisa mudou

esta assim tudo diferente

agora tanto faz ….

estamos indo de volta para casa

ou melhor ainda estamos em casa

Desistir nem pensar ….

em casa  em outras estações

mesmo que seja tudo tão igual

ainda que faça sol ou chuva

em casa com sonho de dias melhor

por que há flores pelo caminho

e as flores de plástico não morrem ….

e o meu coração ainda faz  Turo Turo por dias melhores

por que na primavera há calmaria

e tudo vai passar

por que as Rosas de plástico não morrem

e estamos indo de volta para casa

Desistir nem pensar

colagem

A colagem de hoje …. Eu e a ti ! E continuamos aqui nos duas !
Juntas sempre até na quarentena… e na maior paz e com muito amor também … vai passar …. Enquanto eu fazia a @zizafernandes cantava
Ziza obrigada por cantar o preço deste amor
Quanta estrada foi
Que andamos nesta vida
De abraços e encontros
De chegadas e partidas
Não existe amor maior
Que a coragem de dizer
Que um dia, se preciso for
Dou minha vida por você
Não existe amor maior
Que a coragem de dizer
Que um dia, se preciso for
Dou minha vida por você
Amigo a gente guarda
Mesmo que haja falhas
Quando Deus constrói um laço
O amor jamais acaba
Eu lhe trago em meu peito
Por amor e por direito
Mesmo que você jamais
Saiba o preço deste amor
Não existe amor maior
Que a coragem de dizer
Que um dia, se preciso for
Dou minha vida por você
Não existe amor maior
Que a coragem de dizer
Que um dia, se preciso for
Dou minha vida por você

Poema

 

um bordado meu com um poema que eu amo …

de uma pessoa muito especial que me ajuda a ir além

 

A capacidade de ver o que está além do visível. De ouvir o que está além do audível. De sentir o que está além do palpável…
Karla Fioravante

@kafioravante

um pequeno poema

Vai para o Jorge e sua sanfona
Devolvo de São Jorge
Vai para Maria do Rosário e sua voz doce
Vai para o João do olho azul
Vai entre azul de laranjeira do sul
Entre o vento de Catanduva
Vai entre os cristais de cristalina
Vai para os biscoitos mas doces
Que Castorina da terra dos cristais fazia
Vai para o interior da Adelina
Ou para a noite da barra funda do Antônio
Para os pinheiros do ar frio do Paraná
Para o pão de queijo do João