Arquivos da categoria: Artes

um texto de outubro de 2019

O sol da meia noite –  banda Rosa de sarou

Clareia – cantores de Deus

 

O texto era para ser apenas sobre o sol da meia noite

música a qual escutei sem parar este final de semana

mas aí pensei que clareia algumas semanas atrás me ajudou muito

clareia onde eu não posso ver ,

a minha vontade é viver em paz ,

sei que está noite vai passar ,

um raio de luz brilhará no meu sorriso ,

passei um mês de outubro meio complicado e está música me ajudou a clarear o que eu pensava estar meio escuro , as noite que tinha que dormi com a bexiga cheia , eu lembrava da frase está noite vai passar e um raio de luz vai brilhar , e assim o sorriso não saiu do meu rosto por que sabia que um raio de luz ia brilhar e a noite ia passar e Deus ia iluminar o meu caminho…e o caminho desta vez foi mas fácil do que em outras crises do ponto psicológico……

 

Sol da meia noite

A música do final de semana

Veja pense , pare

Veja tudo pode ser melhor , pare pare pare ……. eu repetia isto na minha cabeça

Pare e respira

Veja que o amor resiste e de certa forma resiste por mas difícil e complicado que seja

Deus te faz entender toda a poesia

E faz mesmo entender que até nas coisas ruins ha uma poesia não tão colorida mas há

E torna a vida mas valiosa…..

aprendi que a vida deve ser valiosa sempre

mas não foi fácil em muitos momentos …..

mas hoje esta frase faz um enorme sentido…

pare siga pense Deus te faz entender toda poesia toda beleza todas as cores

E ainda da para ser feliz , então seguimos o caminho da poesia e da felicidade sempre por que a felicidade está nas pequenas coisas entre uma cor e outra entre uma música e outra basta que você entenda

E peça que nesta noite , ele te toque e cure as suas feridas

E ele cura…..

ela cura a nossa mãe nossa senhora de tantos nomes e cores…..

Pare pense e torne sua vida mas valiosa , Deus te faz enter todas as cores e coisas basta você entender  e curar as suas feridas …….

Clareia e sol da meia-noite

Duas músicas católica mas por pura coincidência lógico que admiro a música católica com seus inúmeros artistas talentosos ,

mas escuto de tudo sempre , as pérola da MPB , a música clássica , agora estou na fase música instrumental e católica

Escrever

Eu comecei para colocar pensamento no
Papel , uma forma de deixar escrito para mim mesma ! De virar a página de alguns acontecimentos uma maneira de deixar o alma fluir …
no começo eu não pensava em publicar nada …
mas comecei uma série na pintura chamada memória afetivas em novembro de 2017 eu vinha de uma exposição com o grupo do tomie que os meus quadros só tinham flores , praticamente o meu jardim secreto, mas eu queria mudar e no dia seguinte da exposição cheguei no atelier da Catarina cedo primeiro que ela .. na aquele dia entrou um pássaro no atelier da cata e o pássaro se debatia de um lado por outro , eu estava igual o pássaro me debatendo por dentro com o meu próprio trabalho eu queria muito fazer uma exposição individual mas só com flores ? Eu queria algo que falasse de mim para o outro , eu queria pintar algo que eu conhecesse bem , aí lembrei de uma ilustração que eu tinha feito da ti , à cata me deu café e eu passei café no papel inteiro e esperei secar o café , peguei a aquarela e comecei a pintar por cima , a cata olhou aquela mudança toda … eu precisava ir além de mim mesma , e durante a série aprendi a bordar , e comecei a colocar as ideias no papel , e assim surgiu uma série inteira de pintura , bordados , ilustração e um livro inteiro, que depois virou um segundo livro que será lançado em breve ….. e foi assim que comecei a escrever …..
E graças a cata ao pássaro , as flores , ao meu amor pela ti ,
E a paciência da cata de olhar cada trabalho e cada escrito
A paciência da Karla de ler tudo e me ajudar a ir em frente
E a ti que acompanhou tudo cada passo da exposição que seria sobre ela …
E foi assim com as cores que entrei no mundo das palavras acho que só sei escrever como pintora , não sei ainda se sou uma escritora , no fundo eu sou apenas aquela mesma garotinha que amava suas canetinhas mas que suas bonecas….

nossa senhora …….

 

A fé popular a fé de um povo …….

a fé na minha santinha tão querida ……

para mim bordar minha santinha é como eu estivesse rezando ……

como se eu tivesse representando todas aquelas pessoas que passam pelo santuário todos os dias em busca de milagres em agradecimentos

eu conheci o santuário só aos 16 anos morando em SP e conhecendo muitos lugares mundo a fora eu não conhecia Aparecida vinda de família católica eu não conhecia Aparecida , mas os olhos daquela adolescente ficou deslumbrado com o ar de Aparecida , eu pintava já na adolescência mas não bordava ainda ,

Aparecida e as muitas nossa senhoras passaram ser um dos meus temas favoritos , e assim Aparecida começou a fazer parte da minha arte , e da minha vida também

ZF

 

ZF Day

Era um sábado de céu azul parecia ter saindo de uma aquarela , e lá na minha frente a cantora de fogo suave , a cantora que pede calma , a cantora que eu tanto gosto de escutar que canta com leveza, dona de um sorriso cativante, e uma voz inconfundível, simpática como sempre , quando cheguei já foi abrindo um sorriso e falando oi Gabi já quebrando todo tipo de gelo que pudesse existir neste momento, eu sempre muito tímida estava morrendo de vergonha, mas ela conseguiu até tirar um pouco da minha vergonha e quebrar o gelo como se desse para existir gelo com aquele céu azul e com aquele momento tão especial com o teatro enfeitado com flores com tudo feito no maior capricho, capricho para os fã difícil ver isto no meio artístico , foi uma tarde maravilhosa com muita conversa sobre futuros trabalhos da ziza e sobre o show que aconteceria mas tarde … enfim uma tarde multi colorida com muitos sorrisos e com um céu azul quase poético ….

O quadro

 

Hoje fiquei olhando este quadro em uma foto antiga no face …
E pensando a pintura para mim não é simplesmente pintar

a arte para mim não é simplesmente a arte é a minha vida é uma forma de seguir sempre em frente …

Este quadro eu fiz em 2014 no meio de uma crise de dor de cabeça e uma infecção que demorou para passar …

eu pintava o quadro e a minha cabeça doía …em um momento que nenhum antibiótico tomado fazia mas efeito só por via venosa fazia eu tomava o antibiótico de manhã e à tarde eu pintava e foi assim durante 7 dias,  mas o quadro ficou pronto para a exposição de final de ano do Tomie … eu agradeço a Deborah até hoje pela paciência…e o quadro virou uma superação e mostrou para mim mesmo o quando eu gosto de pintar …eu nunca mas deixei um dia passar em branco sem arte depois deste quadro , eu desenho , ou bordo , ou escrevo , ou pinto , ou faço as minhas cerâmicas , danço , me arrisco na música ( apesar que isto ultimamente anda meio difícil) mas nunca mas fiquei sem a arte e arte sem mim …Obs o quadro hoje fica na minha sala e eu o vejo todos os dias …e sigo em frente com muita arte sempre …..

 

 

outro texto sobre o mesmo quadro em  período diferente

Estava aqui andando pelo café deste lugar aqui no Morumbi e pensando como amadureci nestes 6 anos , aprendi a conviver com tanta coisa de maneira diferente, hoje com certeza aquela menina de 6 anos atrás estaria muito nervosa, mas hoje levei tudo de forma pacífica por que agente aprende com a vida né ! E o tal café me fez lembrar quanto desespero passei neste lugar , dor , bexiga travada , soverte a meia noite por que era a única coisa que dava para comer por causa dos remédio fortes ….

a coisa do descanso de ninguém acreditar ( bom isto não mudou ) mas mudou a forma que eu encaro as crises , mudou que aquela menina de 6 anos atrás se tornou uma pessoa mas forte talvez mas determinada pronta para realizar cada sonho , seja fazer uma exposição ou subir em um palco, da menina de 6 atrás sobrou pouco , eu entendi que eu precisava seguir com a minha arte com o amor pela ti com o amor pela vida e com dor ou não com infecção ou não sempre seguir em frente com as minhas cores com a minha ti e agora com as minhas crianças…. e que as cores sempre me faça mas forte …. ah voltado ao café até o cheiro mexeu com as minhas lembranças parece que eu até sinto a mesma dor das madrugadas vividas neste mesmo café , mas hoje aprendi que posso seguir o meu caminho de uma maneira mas forte e apesar de tudo as madrugadas dos sorvetes de morango me mostrou que a vida não é cor de rosa mas podemos fazer dela multi colorida e mas forte

 

 

 

 

 

28 de agosto

 

Terça feira 28 de agosto de 1979 , isto mesmo 1979 deveria ser mas um dia do inverno paulistano com seu céu azul ou nublado como hoje quarta feira 28 de agosto de 2019 então hoje fazem exatamente 40 anos , estou pensando a uma semana para escrever este texto , mas escrever o que exatamente por que faltam palavras para descrever…talvez só uma palavra seria capaz de descrever amor , quanto a ti chegou aqui em casa eu nem existia , passei a existir um pouquinho depois, e ela estava lá , estava lá quando andei , quando saía pela casa com todas as minhas bonecas para brincar na cozinha, na adolescência me acompanhando nos shows do KLB e sandy e jr , ou nas viagens para o Paraty em foco , ou para assistir ballet em Santa Catarina, me acompanhado quando eu não estava bem em horas e horas no Eistein. Ou me dando bronca por causa do pé ( o que está certo né rs ) em fim temos uma vida juntas e eu agradeço….. uma vida resumida em muito conversa respeito e amor sempre ..

Tereza

Ás vezes fico horas e horas escutando a ti contar as suas historias , sempre gostei muito de escutar historias .
não era á toa que a minha matéria preferida na escola era historia , gostava de estudar sobre reis e rainhas , Dom Pedro segundo e a sua paixão pela fotografia , dos reis da frança  da monarquia inglesa com sua rainha quase impecável com quase 90 anos .
sempre gostei de viajar pela historia quando era criança , pela imaginação já viajo há mas tempo desde que me conheço por gente , e assim vou voando por memórias que não são minhas mas que se tornam minhas de tão verdadeiras que são. Assim como a historia da tereza , não é uma memória minha… mas um dia encontrei uma foto em um álbum da ti que estava guardado no meu quarto , a foto colada na contra capa de um álbum daqueles da década de 70 com uma linda casinha na capa daquelas que só existe na capas de álbum e que nunca vi pessoalmente , e atras da casinha mora a foto da tereza , que na verdade morreu muito antes de eu passar em nascer , mas a foto me interessou tanto , que resolvi fazer uma linda ilustração , e depois virou um lindo bordado e como eram duas meninas me lembrei de Renoir e suas meninas de rosa e azul , que deveriam ter a mesma idade da tereza e da ti , Alice e Elizabert deveriam ter por volta de seus 10 anos também filhas de banqueiro , a tela foi encomendada em 1881 , cem anos antes do meu nascimento e muitos anos antes da foto do álbum da casinha mas a posição era a mesma os vestidos bem diferentes pois anos separam a pintura da foto , e anos separaram a ilustração e o bondado da foto , mas era tudo muito parecido , duas lindas meninas no quadro, duas lindas meninas na foto que usavam também sapatinhos no estilo boneca aquele mesmo sapatinho que eu também tenho e morro de ciúmes e por um acaso ganhei da ti e ele sai comigo raramente , outro dia ele teve que ir ao sapateiro para tirar uns riscos e não é que fiquei esperando ele ser renovado , não ia deixar meu sapatinho la sozinho , e agora novinho em folha ele dorme no meu armário , o sapato igual me chamou atenção sim a posição também , era tudo igual só não a cor da roupa que no bordado dei um jeito de ficar igual , só não era igual a historias as meninas do quadro eram francesas filhas de banqueiro , as minhas meninas do álbum eram paranaense nasceram no frio úmido de catanduvas , em uma cidade pequena que nada lembra Paris do Renoir , mas tinha uma historia e tinha uma cor mesmo que a foto fosse branca e preta hoje ela é amarela pois papeis fotográficos as vezes tem este pequeno problema de mudarem de cor com o tempo mesmo que o tempo não seja longo , eu nunca vi a foto em branco e preto muito menos amarela para mim ela sempre foi rosa e azul igual no quadro a ti a mas nova era a de vestido cor de rosa e com os seus sonhos cor de rosa , tereza a mas velha a azul assim como no quadro , e com seu ar quase celestial , tereza era tia da ti diferente as duas meninas da pintura do quadro que eram irmãs mas a diferença de idade era a mesma , tereza a menina de azul e com ar celeste morreu cedo tinha um ar de sonhos da cor do Céu de cantaduvas cidade da região oeste Parana .